A Madrinha Embriagada

Imagem: SESI

Imagem: SESI

No dia 15 (Quarta), o W. e eu levamos minha irmãzinha para assistir A Madrinha Embriagada – Uma Comédia Musical, (The Drowsy Chaperonelá no Teatro do SESI, aqui em São Paulo. Já tinha me apaixonado por ela em Dezembro, quando assisti pela primeira vez. E por falar em primeira vez, é a primeira vez que a A. vai ao teatro, não preciso nem dizer que ela saiu de lá com os olhinhos brilhando, né?

A peça tem a versão e a direção do Miguel Falabella, então já sabe que é coisa boa, né? E o melhor? Os ingressos são gratuitos!

“A história começa nos dias atuais com um fã de musicais, denominado o Homem da Poltrona, ouvindo o disco, long play, de um espetáculo chamado A Madrinha Embriagada, que teria estreado em 1928 no Teatro São Pedro. A história ganha vida no palco, com os atores revivendo a trama.”

Acho que se eu falar mais do que isso, perde um pouco a graça da história.

A abertura do espetáculo é linda, com o protagonista falando no escuro com a plateia – criando espectativas– e dou palmas também para a forma divertida que ele ensina os espectadores a desligarem o celular.

E por favor gente, se alguém for ver o espetáculo, prestem atenção no homem da poltrona enquanto as danças e músicas rolam soltas no palco. Vocês verão que a comédia não é tão comédia assim.

A Madrinha Embriagada
Data: até 29 de junho de 2014.
Horário: quartas, às 21h; quintas e sextas, às 21h; sábados, às 16h e às 21h; domingos, às 19h.
Local: Teatro Sesi.
Endereço: Avenida Paulista, 1313 – Cerqueira César – zona Oeste – São Paulo.
Grátis.
Telelefone: (11) 3146-7405.

Para mais informações: A Madrinha Embriagada

Há uma cota de 50 ingressos por sessão, eu cheguei por volta das 19h 15min lá, fiquei na fila até às 21h (leve um bom livro ou um vídeo game de mão), e consegui assistir ao espetáculo na segunda fila e no meio! Tudo de bom, né?

Anúncios

Quero voltar

Imagem 0020 - igreja, ita, ceu, pracaÉ sempre estranho ir passar um tempo na casa dos meus pais, em Minas Gerais. Toda vez que eu volto lembro-me de toda a angústia, frustrações e da ânsia em querer sair de casa.

Minha adolescência foi complicada, não que eu não seja complicada hoje, talvez até mais. Rs. Eu era totalmente fechada, não saia para festas, não bebia, não tinha namorado, era bv, não gostava de maquiagens e de roupas. Era chata, muito chata. Para mim, todos os colegas da escola eram infantis e estúpidos, ninguém prestava.

Eu me achava feia, muito feia, não tinha autoestima e não gostava de mim. O pior é que eu não conseguia falar disso com ninguém. Acredito, sinceramente, que a raiz da minha depressão está nos meus 13 anos, quando mudei para Ita. Não me adaptei a nova escola, tinha saudades dos meus amigos e de todo o movimento de São Paulo.

A minha vida se resumia em estudar, ler, fazer algum tipo de artesanato, jogar vídeo game e mexer no computador. Nem de música eu gostava, fui começar a ouvir Legião Urbana, Engenheiros do Hawaii e AC/DC quando eu tinha 17 anos. Também não tinha Internet em casa, matei muita aula já (mesmo sendo CDF) para ficar em lan houses.

Meus pais não são ruins, muito pelo contrário, não sei o que eu faria sem eles. O único defeito deles é que eles são humanos e erram de vez em quando. Rs. Tudo o que eu posso reclamar deles na minha educação e na nossa convivência, eles estão dando altas bolas dentro com a minha irmã mais nova. Tenho certeza de que a minha mãe leu todos os meus diários (tenho diários dos 11 aos 19 anos), e por isso ela sabe exatamente o que foi que me deixou triste, magoada e assim tenta não fazer o mesmo com a A.

E toda vez que eu vou pra lá, toda vez, pode ser para passar um fim de semana, quinze dias ou um mês, eu fico nadando nesses pensamentos, revirando, procurando alguma coisa não definida. Fico angustiada, quero ir embora logo, voltar para a minha casinha, para a minha rotina. E hoje é só o primeiro dia… vou voltar dia 3 ou 4.

Tudo lá na casa dos meus pais é gostoso. A casa grande, a piscina, as cachorrinhas, as longas conversas com o meu pai, o ar sem poluição, o silêncio a noite, o sino da Igreja batendo de 15 em 15 minutos, a comida da minha mãe, sentar ao lado dela enquanto ela costura e ficar tagarelando e, principalmente, a companhia dos meus irmãos, que as vezes sinto-me sufocar de tanta saudades.

Só que a rotina não é a minha, não consigo ficar no silêncio por mais de 10 minutos, minha mãe briga comigo toda vez que eu compro algo, as coisas não estão do meu jeito, são meio largadas. Família: ruim com ela e muito pior sem ela. E quando as coisas tem que ser mais largadas, mais leves, levadas mais na esportiva, elas não são.

Gostaria muito de não sentir essas coisas, de não ser tão ranzinza, mas é que eu vejo tanta coisa errada. Gostaria de não ser tão crítica, tão chata e tão parecida com o meu pai. Mas não sei como mudar isso,nem como desligar, só por cinco minutos, os pensamentos em minha cabeça.

Arrumando a mala

Imagem 0006 - mala rosa grande vaziaVou viajar amanhã, estou indo para a casa dos meus pais em Minas, uma cidadezinha com cerca de 15 mil habitantes. E dessa vez, não vou deixar a mala para arrumar em cima da hora! Passei ontem o dia todo mentalizando o que eu teria que levar e que não poderia esquecer. Bem, acabou que deu certo! (Não esqueci nada com exceção do joguinho de cartas Pictureka! que a minha irmãzinha pediu para eu levar. – Pós publicação).

Sempre penso que vou conseguir fazer uma mala leve e com o essencial dentro. Mas peso e o que eu preciso levar são coisas bem diferentes. Minha mala ficou muito pesada (sorte que eu tenho o W. para me ajudar a levar até a rodoviária), no entanto, tudo o que eu levei eu usei, menos dois pares de brinco e uma blusinha de ficar em casa. Acho que já foi a melhor mala que eu fiz em 26 anos de existência.

Fiz a minha mala para 20 dias (e dava tranquilamente para 1 mês), mas a minha mala foi feita já pensando que eu teria como lavar roupa. Então, caso você não possa lavar a sua roupa no seu destino, recomendo aumentar um pouco o número de peças, ok?

Primeiro, o melhor a se fazer é separar tudo aquilo que você possa usar durante o trajeto em uma mala de mão ou uma bolsinha pequena.  Então celular, carteira com documentos, cartão e dinheiro. Pente, fones de ouvido, óculos, uma garrafinha de água, escova de dente, uma barrinha de cereal. Eu também levo espelhinho, álcool em gel e lencinhos umedecidos. Um bom livro e uma playlist legal no celular. Carregador do celular minha gente! Nunca esqueçam esse item. Também tenho mania de sempre andar com um caderninho desses pequenos 1/8, sabe? E uma caneta também.

Minha gente, não esqueçam os documentos! Eu tive as manhas de esquecer meu RG. Sorte a minha que o motorista foi gente boa e deixou-me embarcar mostrando o Bilhete Único de Estudante, que tem o número do RG impresso.

Segundo, eu não separo e organizo minhas coisas na mala, pois eu levo o notebook, meu HD externo, meu PS2, coisas que quebram, sabe? Então, vou intercalando com roupas, e preenchendo os espaços com calcinhas, meias…

Terceiro, coloque tudo o que for líquido dentro de saquinhos, inclusive perfumes! E não se esqueça de olhar se o saquinho não está furado. Isso pode te salvar de muitas enrascadas. Calçados também, todos dentro de saquinhos, o que é bem mais higiênico e não vai sujar as roupas.

Bem, lá vai a lista de tudo o que eu levei:

7 blusinhas; 2 vestidos; 7 calcinhas; 3 soutiens; 3 pares de meia.

1 calça jeans; 2 shorts jeans; 1 jaqueta jeans; 2 pijamas.

2 biquinis; 1 bloqueador solar fator 50; 1 creme hidratante intensivo para o cabelo.

1 perfume; 1 creme depilatório; 1 desodorante; 1 shampoo; 1 condicionador; 1 sabonete.

1 lâmina de depilar; 1 creme hidratante para o corpo.

1 par de chinelos; 1 par de tênis; 1 par de Melissa; 1 par de sandálias.

Bolsinha com alicate de unha, lixa, creme redutor de cutículas; acetona; 4 vidrinhos de esmalte; algodão.

4 pares de brinco; 2 tipos de pulseiras; 2 colares; 4 aneis.

4 elásticos para o cabelos; 4 pares de tic-tac; 2 tiaras; 2 faixas.

Bolsinha com maquiagem.

2 livros (A Fúria dos Reis e Inacreditáveis).

Bolsinha com canetas e lapiseiras; Fichário da organização; Agenda.

Notebook; HD externo; PS2; Tapete de dança; controles do vídeo game; todos os fios;

Presentes da minha irmãzinha;

Não precisei levar toalha e algumas outras coisas, pois como disse, estava indo para casa da minha mãe. Também não levei lanche (só a água e uma barrinha de cereais), pois são 4 horas e meia de viagem e fico bem sem comer durante esse período de tempo.

Peço desculpas pela foto estar ruim e por não ter tirado a foto da mala cheia, eu esqueci. Espero que essas poucas dicas sejam úteis para alguma de vocês, e também não vou ficar sem postar, lá na casa da minha mãe terei tempo de sobra pra isso. =)

(Hoje é aniversário do meu irmão, do meu tio e da minha prima. Parabéns A., Tio B. e M.F.!!!)