Vai se chamar Tequila

Imagem 0010 - lhasa apso lailaEssa gracinha da foto é a Laila, cachorrinha da minha mãe. Desde Agosto eu ando querendo uma filhotinha de Lhasa Apso. Sinto-me muito sozinha no período da tarde, depois que eu volto da faculdade, e no começo da noite, antes do W voltar do trabalho. Cãezinhos nos completam de uma forma única.

Quero uma cachorrinha pra me fazer companhia, pra ficar no meu colo enquanto eu estudo e estou no notebook, e deitadinha do lado da minha cama enquanto eu pego no sono. Sem contar na responsabilidade de ter que sair todo dia pra passear com ela. Tenho certeza que minhas crises de depressão diminuiriam e muito. Mas não é só isso.

Tomar a decisão de ter um bichinho é algo importante e que necessita de planejamento. Tem que ter um local calmo para ele, disposição para cuidar e dar atenção para o bichinho, passeios diários, vacinas… não existe cachorro perfeito, que não faça barulho, que não destrua objetos pela casa, que não solte pelos, não existe filhotinho que vá passar o dia todo sozinho e trancado. Não existe cachorro sem personalidade e nem cachorro mudo. Se for assim, melhor comprar um de pelúcia e sem pilhas!

Não sou muito fã de cachorro em cima da cama ou em cima do sofá. Não é nojo, não tenho nojo nenhum desses bichinhos. É uma questão de higiene e educação, eles têm que saber quem manda na casa, e não, não são eles. Também não sou fã de pelos em roupas e pela casa, por isso prefiro as raças de pelo longo, pois ao contrário do que se pensa, soltam bem menos pelos e é bem mais fácil de limpar do que as raças com pelos curtos.

Mas voltando a questão principal, a da companhia, conviver com um cãozinho não é a mesma coisa que conversar com outro humano. As pessoas podem ser cruéis com certos comentários, mas os cachorrinhos só te olham e transmitem amor e companhia. Parece que só eles entendem o que você está sentindo, mesmo sem dizer nada eles dizem tudo.

Estou trocando a companhia de um humano pela companhia agradável de um cão. Nada pior para conviver o dia a dia tendo ao lado uma pessoa que nos deixa ainda mais solitários e irritados. E pode acontecer qualquer coisa, o bichinho sempre vai abanar o rabinho, feliz por te ver e sempre querendo um agrado. Incondicionalmente, vai estar lá, te amando.

Sem se perceber os animais vão nos ensinar a amar. Eles nos ensinam a priorizar o outro ser e a demonstrar carinho. É preciso enxergar além das orelhinhas caídas e do focinho molhado. Pessoas que dizem que não gostam de cães não são dignas de confiança, não mesmo.

Anúncios