Mudanças e mudanças

Imagem 0009 - ita minas geraisEstou falando daquelas de caixas, caminhão e bagunça.

Comparando a primeira vez que eu fiz uma mudança com a última em 2012, a primeira me parece agora bem estranha. Lembro que foi praticamente de um dia para o outro, tudo muito rápido, sem nenhum planejamento. Tinha passado no vestibular, o dia seguinte seria o da matrícula, a cidade para onde eu fui, Viçosa, é muito longe da que os meus pais moram… eu queria sair de casa, eu queria liberdade, não queria ninguém me abelhando. E assim foi.

Descobri coisas boas e coisas ruins de morar “sozinha”. “Sozinha” porque eu morava com mais pessoas, eu não devia satisfações sobre a minha vida pessoal a elas, e morar com amigos ou colegas, infelizmente, não preenche um espaço no coração que só a família consegue (demorei anos pra aprender isso). É complicado morar com pessoas “estranhas”, diria até que árduo. Algumas roubam, outras não tem noção do espaço alheio, e tem aquelas que devem ter estuprado a mãe para se satisfazerem: são ruins e sádicas. E quando se mora com um amigo (a), a amizade vira um inferno. Jogo de cintura é pouco, e eu quase tive um infarto, aguentei sete anos nessa vida, ao todo foram quatorze endereços diferentes. Repúblicas conhecidas e desconhecidas, casa de amigos, pensão e casa de desconhecidos, eu cheguei a morar com mais 19 pessoas em uma república GLS.

Quis voltar pra casa dos meus pais. Tive que voltar pra casa dos meus pais. Só que não consegui mais morar lá, o que eles pensam e a rotina deles é muito diferente do que eu penso e da minha nova rotina (ou a falta dela).

Estou em São Paulo agora, morando com o meu namorado, minha vida está bem, só falta a segurança financeira agora para dar rumo nos nossos projetos.

Sem dinheiro não somos nada, e para conseguir dinheiro perdemos tempo. Precisamos do dinheiro para fazer as coisas que gostamos e quando o temos não há tempo. Vivo nessa indecisão, sobre o que priorizar. Talvez essa seja a minha depressão, tudo o que eu sofro e levo comigo. Lidar com mudanças que não são do jeito que eu quero.

Talvez tenha que me mudar novamente no final desse ano. Estou com medo.

Anúncios