Outono de 2012

Imagem 0005 - beijoNão sei se a paixão acabou ou se é apenas preocupação e falta de dinheiro. Sinto falta de inúmeras situações e sentimentos. Da luz fraca, quente e aconchegante e aquele burburinho de vozes e música quase ruim que embalava os nossos beijos. O leve não se importar com o trabalho meio inconsequente. Nós eramos inconsequentes.

Aquele sorriso bobo, torto e sem graça, querendo agradar a todo custo. E as histórias, inéditas e incríveis dele. Todas as minhas expectativas e frustrações pousadas naquele cara. Mais frustações do que expectativas.

Não existia mundo, não existia tempo, dinheiro, faculdade, trabalho, pais ou qualquer outro dever. Era você, eu e todos os anseios de uma nova paixão.

Sempre achei ele bonito e bom demais para mim. Parecia que eu respirava um conto de fadas. E eu vivi cada pedacinho daquilo sabendo que não iria ter de novo. E como eu estava certa… Desde pequenina sofri pelo puto do amor, e ele me deixou cicatrizes, pequenos ferimentos de guerra, dessa tortura.

Sabia que as coisas iam mudar, uma hora mudariam. A paixão se foi e só ficou o amor. O lado bom disso é ter estabilidade, poder pensar em planos futuros, faculdade, carro, casa, filhos. O lado ruim é que me falta ar para respirar.

Preciso da paixão para acordar de manhã, para fazer exercícios e me alimentar corretamente, para estudar e limpar a casa. Ficar leve como uma borboleta e sempre sorrir. Tudo nessa vida fica mais fácil quando se está apaixonado. O amor são doses homeopáticas e eu gosto de tratamentos de choque.

É Verão e quase 2014, mas o Outono de 2012 ainda vive em mim, todos os dias, toda vez que eu olho pra ele. Todas as frases cafonas e clichês ressoam na minha cabeça, como um eco ou disco arranhado, o triste é que eu não as ouço mais. Ultimamente só consigo pensar nisso, e nas contas a pagar que vencem mês que vem.