Mudanças e mudanças

Imagem 0009 - ita minas geraisEstou falando daquelas de caixas, caminhão e bagunça.

Comparando a primeira vez que eu fiz uma mudança com a última em 2012, a primeira me parece agora bem estranha. Lembro que foi praticamente de um dia para o outro, tudo muito rápido, sem nenhum planejamento. Tinha passado no vestibular, o dia seguinte seria o da matrícula, a cidade para onde eu fui, Viçosa, é muito longe da que os meus pais moram… eu queria sair de casa, eu queria liberdade, não queria ninguém me abelhando. E assim foi.

Descobri coisas boas e coisas ruins de morar “sozinha”. “Sozinha” porque eu morava com mais pessoas, eu não devia satisfações sobre a minha vida pessoal a elas, e morar com amigos ou colegas, infelizmente, não preenche um espaço no coração que só a família consegue (demorei anos pra aprender isso). É complicado morar com pessoas “estranhas”, diria até que árduo. Algumas roubam, outras não tem noção do espaço alheio, e tem aquelas que devem ter estuprado a mãe para se satisfazerem: são ruins e sádicas. E quando se mora com um amigo (a), a amizade vira um inferno. Jogo de cintura é pouco, e eu quase tive um infarto, aguentei sete anos nessa vida, ao todo foram quatorze endereços diferentes. Repúblicas conhecidas e desconhecidas, casa de amigos, pensão e casa de desconhecidos, eu cheguei a morar com mais 19 pessoas em uma república GLS.

Quis voltar pra casa dos meus pais. Tive que voltar pra casa dos meus pais. Só que não consegui mais morar lá, o que eles pensam e a rotina deles é muito diferente do que eu penso e da minha nova rotina (ou a falta dela).

Estou em São Paulo agora, morando com o meu namorado, minha vida está bem, só falta a segurança financeira agora para dar rumo nos nossos projetos.

Sem dinheiro não somos nada, e para conseguir dinheiro perdemos tempo. Precisamos do dinheiro para fazer as coisas que gostamos e quando o temos não há tempo. Vivo nessa indecisão, sobre o que priorizar. Talvez essa seja a minha depressão, tudo o que eu sofro e levo comigo. Lidar com mudanças que não são do jeito que eu quero.

Talvez tenha que me mudar novamente no final desse ano. Estou com medo.

Anúncios

14 pensamentos sobre “Mudanças e mudanças

  1. Gostei bastante do seu texto. Fiquei pensando o quão difícil deve ser ‘ter’ que se adaptar a uma nova cidade, a novas pessoas e a uma nova casa.
    Ano que vem acho que essas mudanças também aconteceram na minha vida. Vou prestar vestibular e se não conseguir passar em uma faculdade próxima a minha cidade, terei que deixar minha vida tranquila e me mudar para cidade grande. Ahhh, me irrita o fato de pensar nisso kkk. Não quero deixar minha cidade, mas, mudanças são precisas.
    Enfim, desejo que você consiga organizar sua vida. Tudo de bom.
    Beijos.
    http://www.depoisdevoar.com

    • Obrigada, flor! Realmente não é fácil sair da cidade, longe da família, mas como tudo nesse mundo, a gente se acostuma. Te desejo sorte no seu vestibular! Não se irrite, na maioria das vezes as mudanças são boas… Tudo de bom para você também. =D

    • A minha primeira mudança foi com alguns meses, quando sai de Minas e vim para São Paulo, depois aos 13 quando voltei pra Minas… e depois essas, que contei nesses textos. Vida de cigana, né? XD

      Obrigada pela atenção!

  2. Planejo me mudar, mas é pro Rio de Janeiro, ainda assim, acho que a ideia de você sair de casa e começar tudo de novo em outro lugar é um pouco assustadora. Eu moro com a minha mãe, então as coisas – hoje – são mais fáceis pra mim porque sempre que eu tenho um problema ela resolve, mas sei que quando a mudança acontecer tudo vai ser diferente e eu vou amadurecer muito.

    • Sim, e posso te dizer que começa com pequenas coisas, eu sentia falta de não ter minha roupa lavada, passada e dobradinha no armário. De chegar da faculdade e não sentir o cheiro do feijão dela… Mas a gente aprende, e como você mesma disse, amadurece. Obrigada pela visita! ^^

  3. Olá minha querida! Lindo seu depoimento, vou lhe falar com sinceridade, sei que você já ouviu diversas vezes, você é nova, e digo
    outra vez é sim, não tem idade para começar. Olha não tenho vergonha de dizer que tenho 44 anos, e comecei a 6 meses com o blog, mal
    sabia ligar o computador pode acreditar, aprendi tudo sozinho com muita luta, errando e acertando, pois vc sabe que blog tem que postar, editar e tudo mais, queria
    realizar esse sonho e só dependi de mim,então corri atrás terminei meu ensino médio ano passado, passei horas e horas na frente do computador, mais valeu a pena. Então amiga força e foco, que vc chega lá com certeza vai da tudo certo se Deus quiser. Beijos fica com Deus
    Blog http://www.nalvafaustino.com.br

    • Sim, já ouvi diversas vezes mesmo. É que eu fiz muitas escolhas ruins na minha vida. E por mais que elas me ajudaram a me tornar a pessoa que eu sou hoje, atrasaram e arrasaram com muitos planos meus.

      44? Tem certeza que não é 29 ou 30? De jeito nenhum que você tem essa idade! =DDD

      Bem, então boa sorte pra gente, né? Pra gente conseguir tudo o que ainda desejamos!

      Amém, fique com Deus também. Obrigada pelo carinho. ^^

  4. Oi Cá, tudo bem! Dei uma bela passeada pelo seu belo e diversificado blog e eis que essa postagem me chamou bastante a atenção! Mudança e mudanças! Passei a pouco tempo por essa fase. Não sei se foi tão intensa quanto a sua, mas com certeza, foi intenso a sua maneira. Sou formada em Direito e segui a dura trilha concursal. Já estava pensando em mudar de rumo, ingressar no setor privado, quando minha vida virou de cabeça para baixo. Fui nomeada para meu primeiro concurso, em uma semana eu estava de mudanças do Ceará para o Rio de Janeiro, 3 meses depois foi nomeada para mais 2 e pude escolher entre ir para Cuiabá ou voltar para o interior do Ceará. A saudade de casa foi mais forte e fui morar no sertão dos Inhamuns e quando eu penso que já estava me acostumando a ser quase canganceira, mudo de novo para minha terra natal do coração, bem mais perto de casa e da família. É tanta emoção que o coração quase não aguenta. Espero que dessas tantas mudanças, te restem as boas lembranças e experiências, o resto a gente abandona pelo caminho! Felicidades!

    • Que máximo a sua trajetória, e como a gente aprende, não é mesmo? Amei o seu comentário, todo elaborado, que honra! *-*

      Eu tenho uma ou outra lembrança ruim… mas as lembranças boas e o aprendizado supera sempre!

      Obrigada pelo carinho! Grande beijo! *-*

O que achou? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s